Autoconsciência – O melhor jeito de interagir em grupo e conquistar admiradores

Estamos vivendo num mundo cada vez mais exigente, tanto nos negócios quanto nos relacionamentos em geral. Apesar de tantos escândalos de corrupção no mundo da política, e tantos abusos de poder, nos relacionamentos e nos escalões empresariais, não é isso que aspira o ser humano moderno. Paradoxalmente aos escândalos noticiados pelos meios de comunicação e vividos por muitas pessoas mundo afora, o que mais nossa alma anseia é por uma convivência honesta entre as pessoas.

A autoconsciência é a capacidade que uma pessoa tem de reconhecer seus pontos fortes e fracos, seus talentos e limitações, compreendendo que precisa do outro para fortalecer seus pontos fortes e neutralizar suas fraquezas a fim de gerar uma relação harmoniosa na convivência humana e nas lideranças empresariais. O gerente de uma organização com essa virtude vai conseguir liderar sua equipe de maneira mais humanitária, sabendo explorar melhor suas qualidades para gerar o resultado desejado, sem a necessidade de se mostrar auto-suficiente e arrogante. Na família, o casal com uma boa dose de autoconsciência, vai reconhecer seus pontos fortes e fracos, compreendendo melhor seu cônjuge, buscando juntos suas melhorias, se apoiando nos pontos fortes de cada um, a fim de tornar a convivência mais prazerosa, aumentando assim o amor entre ambos.

Em minhas experiências de mais de trinta anos lidando com pessoas, nas organizações, ou nos atendimentos individuais, percebo que o que mais deteriora uma convivência é a falta de autoconsciência. Uma pessoa desprovida dessa virtude, geralmente acha que o outro é que deve mudar para ela ser feliz. Para a maioria os problemas estão no outro. O marido acha que a mulher deve mudar para ele ser feliz, a mulher acha o contrário, o marido é que deve mudar para as coisas melhorarem, enquanto isso vão se digladiando e desgastando a convivência.  O melhor jeito de interagir em grupo e conquistar admiradores.

O QUE É PRECISO PARA DESENVOLVER A AUTOCONSCIÊNCIA:

Ter humildade, quem não é humilde jamais vai ter uma autoconsciência elevada.
Ser justo, compreender que mesmo bem intencionado, pode falhar.
Admitir erros. Muita gente carrega um fardo pesado pela vida que é o medo de errar. Quando falham, ou se matam num sentimento de culpa profundo, se tornando uma pessoa amarga e mal humorada, complicando a relação, ou joga a culpa do próprio erro no outro, o que torna um defeito de caráter. Em ambos os casos, torna impossível a autoconsciência.
Praticar a empatia – aprender a se colocar no lugar do outro, ter a sensibilidade para sentir o que o outro sente a fim de se unir e se fortalecer mutuamente, na base do amor incondicional.
Ser leal. A lealdade é a capacidade de praticar a regra de ouro: faça aos outros aquilo que gostaria que fizessem a você. Acredito sinceramente que, a autoconsciência vivida nos ambientes corporativos e nos relacionamentos interpessoais torna as pessoas mais inspiradoras, conquistando admiradores e seguidores, e com certeza, fazendo um mundo melhor por onde passam. Pense nisso. Faça a diferença, pratique a autoconsciência.

por José Osvaldo de Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *