Mais uma crise brasileira: O que aprender dela?

A crise pela qual vive o povo brasileiro, tem muito a nos ensinar. Já estamos cansados de ligar a tv nos noticiários e assistir as mesmas informações: o esquema de corrupção da Petrobrás, o desdobrar do esquema ?Lava-Jato, a estagnação da economia, a queda das vendas, no comércio, as demissões e a alta da inflação. .
Infelizmente não podemos negar essa realidade, mas precisamos tomar cuidado com o pessimismo espalhado pelos principais meios de comunicação, gerando negativismo nas organizações e nas pessoas em geral. É preciso fazer uma leitura mais crítica da realidade e entender que alguns meios de comunicação, tende a colocar a situação pior do que está na realidade. Muitas vezes a maior crise está na cabeça das pessoas; nós criamos nossa realidade, a partir das crenças e valores que vamos formando em relação às informações que recebemos.

Conta-se que numa terra bem distante daqui, houve uma epidemia que mataria 120 pessoas. Os meios de comunicação bombardearam a notícia pedindo para a população tomar cuidado com a doença, se prevenir de todas as formas, que iria morrer 120 pessoas. Depois de um tempo quando ela passou, acabou morrendo mais de 800 pessoas. Preocupados com tal acontecimento, seus governantes procuraram um sábio da região para se informar por que aquilo aconteceu. Ele respondeu, 120 pessoas morreram pela doença, as outras morreram por medo dela…

Não podemos negar que as coisas estão estagnadas, mas enquanto alguns estão pensando nas desgraças provocadas pela crise, outros empresários e trabalhadores estão buscando inovações para superá-la e tirar proveito dela.

O que fazer para enfrentá-la:

Os trabalhadores, devem sair da zona de conforto e procurar se superar, usando a criatividade e inovação, fazendo novos cursos de aperfeiçoamento profissional, aprendendo novas habilidades e adquirindo novas posturas pessoais e profissionais.

As empresas também devem fazer a mesma coisa. Procurar se unir, patrão e empregado a fim de juntos, combater a estagnação das vendas, criando novas opções e inovando suas atividades produtivas. É através das crises que descobrimos novas oportunidades.

Essa crise, ao meu ver, é mais de caráter do que financeira. O grande problema que estamos vivendo é a vergonhosa roubalheira institucionalizada. O povo brasileiro nunca viu, de forma escancarada, a cara dos corruptos, com seus feitos e suas punições, como estamos vendo hoje. Isso é positivo, embora a corrupção seja uma praga, cujo vírus se encontra no coração humano, com certeza será mais difícil ser corrupto daqui para frente.

Alguns aprendizados dessa crise:

O quanto uma pessoa sem escrúpulo é capaz de fazer quando lhes dão poder e dinheiro; o maior fator gerador dessa crise é o mau caráter de alguns que detém o poder; ser honesto se torna um valor imprescindível nas pessoas de todas as escalas sociais.

Como combater essa crise:

Ser mais prudente na escolha de nossos representantes políticos. Ensinar nossos filhos o valor da honestidade e sermos seus exemplos. Tudo que é escasso é supervalorizado, com tanto exemplo de desonestidade, a honestidade se torna um valor decisivo para premiar um empregado e para agregar valor às empresas em geral, além de garantir perenidade nos relacionamentos. Seja ousado, faça dessa crise uma alavanca para sua evolução e sucesso.

por José Osvaldo de Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *